Ritual

PREPARAÇÃO

Sobre o altar:

  • Estela da Revelação
  • Livro da Lei
  • Jarra com vinho
  • Taça
  • Recipiente com mel
  • Recipiente com sal
  • Recipiente com canela
  • Recipiente com arruda
  • Caldeirão
  • Duas velas, uma dentro do caldeirão
  • Incensário com incenso de sândalo
  • Ramos de árvores perenes (ex.: pinheiro), pinhas etc.

Para quem assistir:

  • Vela acesa
  • Papel com o que deve morrer
  • Papel com o que deve renascer
  • Taça de vinho
  • Mel
  • Sal

Abertura

O Sacerdote:

APO PANTOS KAKODAIMONOS!

A Sacerdotisa empunha a Baqueta.

Sacerdotisa:

FAZE O QUE TU QUERES SERÁ O TODO DA LEI.

Todos:

AMOR É A LEI, AMOR SOB VONTADE.

Sacerdotisa:

Eu abro esse Círculo em nome de BABALON.
Mulher Escarlate, em quem está todo o Poder dado: nós te invocamos.
Senhora da Noite: nós te invocamos.
Mãe das Abominações: nós te invocamos.
BAL-BIN-ABFAT: Ventre e Portal do Sol, nós te invocamos com a canção

Mu pa telai, Tu wa melai ā, ā, ā. Tu fu tulu! Tu fu tulu Pa, Sa, Ga. Qwi Mu telai Ya Pu melai; ū, ū, ū. ’Se gu malai; Pe fu telai, Fu tu lu. O chi balae Wa pa malae:
Ūt! Ūt! Ūt! Ge; fu latrai, Le fu malai Kūt! Hūt! Nūt! Al ŌĀĪ Rel moai Ti—Ti—Ti! Wa la pelai Tu fu latai Wi, Ni, Bi.

Eu abro esse círculo em nome de CHAOS. Besta coroada na qual Ela cavalga: nós te invocamos. Pai de Luz, Vida, Amor e Liberdade: nós te invocamos. Senhor do Apocalipse: nós te invocamos. SABAFT! Nós te invocamos com a canção

“Grandiosa é a Besta que chega como um leão, o servo da Estrela e da Serpente. Ele é o Eterno; Ele é Todo-Poderoso. Abençoados sejam aqueles que fitares com firmeza, pois nada ficará ante tua face. Malditos daqueles que fitares com desdém, pois nada ficará ante tua face.”

Eu abro esse círculo em nome de BAPHOMET. Batismo de Sabedoria: nós te invocamos. Oito Pilares da Roda do Ano: nós te invocamos. Leão-Serpente: nós te invocamos. ADONAI! Nós te invocamos com a canção

Criança, Sagrado e imaculado é teu nome. Teu reino é chegado; Tua vontade é realizada. Aqui está o Pão; aqui está o Sangue. Traga-me através da meia-noite para o Sol! Salva-me do Mal e do Bem! Que aquela Tua única coroa de todas as Dez Mesmo aqui e agora seja minha. AMÉM.

Eu abro esse Círculo pelo Poder e sob Proteção dos GUARDIÕES DAS TORRES DE VIGIA.

(Apontando o Leste, vibra): EXARP. XCAI. Nós te invocamos!

(Apontando o Oeste, vibra): HCOMA. AONT. Nós te invocamos!

(Apontando o Sul, vibra): BITOM. PAAM. Nós te invocamos!

(Apontando para o Norte, vibra): NANTA. RMTO. Nós te invocamos!

Purificação e Consagração dos presentes

A Sacerdotisa mistura no altar sal na água.

Sacerdotisa:

Que o sal da Terra exorte a água a carregar a virtude do grande mar

Ela asperge água na fronte dos presentes, dizendo enquanto caminha:

Sacerdotisa:

“Pois vontade pura, desembaraçada de propósito, liberta do desejo de resultado, é em todo modo perfeita”.

A Sacerdotisa mistura incenso no incensário.

Sacerdotisa:

Que o fogo e o ar façam doce o mundo.

Ela defuma os presentes, dizendo enquanto caminha:

Sacerdotisa:

“Eu estou sobre vós e em vós. Meu êxtase está no vosso. Minha alegria é ver vossa alegria.”

No final de tudo, ela se dirige especificamente para o Sacerdote:

Sacerdotisa:

“Ó! tu estás sobrepujado: nós estamos sobre ti; nosso deleite está em ti todo: salve! salve: profeta de Nu! profeta de Had! profeta de Ra-Hoor-Khu! Agora rejubila! agora vem em nosso esplendor & arrebatamento! Vem em nossa paz apaixonada, & escreve doces palavras para os Reis.”

O Sacerdote vai para o Leste e anuncia:

Sacerdote:

“Eu sou a Serpente que dá Conhecimento & Deleite e glória brilhante, e agita os corações dos homens com embriaguez. Para adorar-me tomai vinho e drogas estranhas sobre as quais Eu falarei ao meu profeta, & embriagai-vos disto! Eles não vos prejudicarão de forma alguma! Isto é uma mentira, esta tolice contra si. A exposição da inocência é uma mentira. Sê forte, ó homem! deseja, aproveita todas as coisas dos sentidos e arrebatamento: não temais que qualquer Deus te negará por isto.”

Está iniciada a FESTA de solsticio de Inverno.

Aplausos O.T.O.

RITO DE SOLSTÍCIO

A Sacerdotisa está junto ao altar, voltada para o Oeste.

O Sacerdote está a Oeste, voltado para o Altar.

Sacerdotisa:

O Sacerdote dá o sinal de Osíris Morto, voltado para o altar.

A Sacerdotisa vai para o Oeste, a leste do Sacerdote, voltada para o Sacerdote, em posição de Ísis Lamuriante.

Sacerdotisa:

Nosso senhor, o sol, está morto!

A Sacerdotisa coloca o véu em si mesma.

A Sacerdotisa caminha sete vezes em sentido horário ao redor do Sacerdote com o sino e a vela, tocando o sino uma vez a cada volta.

Enquanto dá as voltas a Sacerdotisa diz:

Retorna ó retorna!
Deus do sol, Deus da luz, retorna!
Teus inimigos fugiram – tu não tens inimigos.
Ó adorável auxiliador, retorna, retorna!
Retorna a tua irmã, tua esposa que te ama!
Não seremos separados.
Ó meu irmão, meu consorte, retorna, retorna!
Quando não te vejo
Meu coração se aflige por ti
Meus olhos buscam por ti
Meus pés percorrem a terra em busca de ti
Deuses e homens juntos te panteiam
Deus do sol, Deus da luz, retorna!
Retorna à tua irmã, tua esposa, que te ama!
Retorna! Retorna! Retorna!

A Sacerdotisa vai para junto do altar e coloca o sino sobre ele. Ela vira-se para o Sacerdote.

O Sacerdote dá o sinal de Osíris Ressurrecto

A Sacerdotisa vai para o Oeste, à leste do Sacerdote, virada para o Sacerdote, levando a vela.

Sacerdote diz:

Rainha da Lua, Rainha do sol
Rainha dos céus, Rainha das estrelas
Rainha das águas, Rainha da terra
Traz-nos a criança da promessa
é a grande mãe que a ele dá nascimento
é o senhor da vida que nasce novamente
Trevas e lagrimas são afastadas quando o sol cedo surgir!

O Sacerdote e a Sacerdotisa vão juntos para o Altar, ele ao Sul, ela ao norte. Os dois ficam virados para o altar. A Sacerdotisa entrega a vela ao Sacerdote e diz:

Sol dourado de outeiro e montanha
Ilumina a terra, ilumina o Mundo
Ilumina os mares, ilumina os rios
Que se aplaquem as tristezas, que haja júbilo no mundo
Que a grande Deusa seja abençoada
Sem começo, sem desfecho
Ao Eterno, a eternidade, Io IAO! Sê abençoado!

O Sacerdote acende a vela do caldeirão com a vela que recebeu da Sacerdotisa e coloca a vela que segurava no altar.

O Sacerdote diz:

Esta é a noite do solstício, a noite mais comprida do ano.
Agora, a escuridão triunfa: no entanto recua e transforma-se em luz.
O fôlego da natureza está em suspenso:
Todos aguardam, enquanto dentro do caldeirão o rei da escuridão é transformado em criança da luz.
Aguardamos a chegada do amanhecer, quando a grande mãe dará a luz novamente a divina criança do sol, que é o portador da esperança e a promessa de verão.
Esta é a quietude atrás do movimento, quando o próprio tempo para:
O centro que também é circunferência de tudo
Estamos todos acordados na noite.
Giramos a roda para que ela traga luz.
Invocamos o sol do ventre da noite.
Abençoados sejam!

A Sacerdotisa diz:

Morrer e renascer,
A roda está a girar,
O que se deve relegar à noite?

O Sacerdote queima a arruda na vela do caldeirão.

Os que estão assistindo queimam em suas próprias velas o papel com o que deve morrer.

A Sacerdotisa diz:

Morrer e renascer,
A roda está a girar,
O que se deve esperar da aurora?

A Sacerdotisa então queima na vela do caldeirão a canela.

Os que estão assistindo queimam em suas próprias velas o papel com o que deve renascer.

O Sacerdote segura o frasco cheio de sal e diz:

A Luz nasceu
E a luz morreu.

A Sacerdotisa diz:

Tudo passa, tudo se extingue

O Sacerdote coloca uma pitada de sal na língua da Sacerdotisa. Os que estão assistindo colocam um pouco de sal na sua boca.

O Sacerdote diz:

Meu corpo é sal.
Prove o hálito da morte.

Todos cantam:

A ka dua
Tur ur biu
Bi a’a chefu
Dudu nuraf an nuteru

Então a Sacerdotisa coloca o mel na boca do Sacerdote. Os que estão assistindo colocam um pouco de mel em suas bocas.

A Sacerdotisa diz:

Meu corpo é mel.
Prove a doçura da vida.

Todos cantam:

A ka dua
Tur ur biu
Bi a’a chefu
Dudu nuraf an nuteru

A Sacerdotisa diz:

Passemos à meditação.

Tempo.

Sacerdotisa diz:

Você está penetrando em um espaço de liberdade perfeita.
Você está no útero da Deusa sendo puxado, fazendo com que renasçam.
Então se sintam nos braços da Deusa e durmam o sono dos recém-nascidos.

O Sacerdote diz:

Navegue, navegue
Siga o crepúsculo até o ocidente
Onde possa descansar, onde possa descansar a sua mente.

A Sacerdotisa diz:

Navegue, navegue,
Volte sua face para onde o sol se apaga
Para além da margem, apara lém da margem, para além da água

O Sacerdote diz:

Navegue, navegue
Uma coisa torna-se outra
Na mãe, na mãe

A Sacerdotisa diz:

Navegue, navegue
Faça de seu coração um fogo ardente
Torne-o mais forte, torne-o mais forte

O Sacerdote diz:

Navegue, navegue
Sobre a escuridão do mar sem sol
Você está livre, você está livre

A Sacerdotisa diz:

Navegue, navegue
Para dentro da tempestade e dos ventos enlouquecidos
para renascer, para renascer

O Sacerdote diz:

Navegue, navegue
Sobre as ondas onde a espuma branca jaz
Para trazer a luz, para trazer a luz.
Quem é esse?

A Sacerdotisa diz:

Aquele que se põe na escuridão!

O Sacerdote diz:

Quem é esse?

A Sacerdotisa diz:

Aquele que navega!

O Sacerdote diz:

Quem é esse?

A Sacerdotisa diz:

Aquele que renova!

O Sacerdote diz:

Quem é esse?

A Sacerdotisa diz:

Aquele que traz os frutos dourados!

O Sacerdote diz:

Quem é esse?

A Sacerdotisa diz:

Aquele que é imaculado!

O Sacerdote diz:

Quem é esse?

A Sacerdotisa diz:

Aquele cujas mãos estão abertas!

O Sacerdote diz:

Quem é esse?

A Sacerdotisa diz:

Aquele cujo os olhos são brilhantes!

O Sacerdote diz:

Quem é esse?

A Sacerdotisa diz:

Aquele cuja a face é resplandecente!

O Sacerdote diz:

Quem é esse?

A Sacerdotisa diz:

Aquele que é a esperança da manhã!

O Sacerdote diz:

Quem é esse?

A Sacerdotisa diz:

Aquele que atravessa o portal!

O Sacerdote diz:

Quem é esse?

A Sacerdotisa diz:

Aquele que retorna a luz!

O Sacerdote diz:

Quem é esse?

A Sacerdotisa diz:

Aquele que é um fulgor entre os pilares gêmeos!

O Sacerdote diz:

Quem é esse?

A Sacerdotisa diz:

Aquele que é um clamor entre as coxas!

Rainha do sol!
Rainha da lua!
Rainha dos chifres!
Rainha dos fogos!
Traga até nós a criança da promessa!
É grande a mãe
Que a ele dá a luz
É o senhor da vida
Que nasceu novamente!
Escuridão e lágrimas
São abandonados
Quando o sol se levanta novamente!
Sol dourado
Das montanhas e dos campos
Ilumine a terra!
Ilumine os céus!
Ilumine as águas!
Ilumine os fogos!

O Sacerdote diz:

Possam todos voltar de sua meditação.

Aguarda-se um pouco.

O Sacerdote em posição de Osíris Ressurrecto diz:

Eu que morri estou vivo hoje novamente.
O grande e alegre acontecimento da ilimitada terra.
O filho do sol, o rei nascido no inverno.

A Sacerdotisa, dando o sinal de Ísis Triunfante, diz:

O Deus da escuridão cruzou o portal.
Ele renasceu através da mãe.
Com ele renascemos nós!

O Sacerdote enche a taça de vinho. Ele dá a taça à Sacerdotisa que bebe metade. Ela dá a taça ao Sacerdote que a esvazia.

Os que estiverem assistindo bebem de suas próprias taças de vinho.

FECHAMENTO

Sacerdotisa e Sacerdote juntos ao Leste.

Sacerdotisa:

FAZE O QUE TU QUERES SERÁ O TODO DA LEI.

Todos:

AMOR É A LEI, AMOR SOB VONTADE.

Sacerdotisa:

Fechamos o Círculo agradecendo e nos despedindo de todas as forças que hoje compareceram. Bênçãos em nome de BABALON, CHAOS e BAPHOMET. Que saiamos protegidos pelos GUARDIÕES DAS TORRES DE VIGIA.

Sacerdote:

“Nuit! Hadit! Ra-Hoor-Khuit! O Sol, Força & Visão, Luz; estes são para os servidores da Estrela & da Serpente.”

Sacerdotisa:

Que os benefícios da Festa de hoje possam se estender em nossas vidas e para além delas, para todos os seres de todos os tempos passado, presente e futuro. Que todos possam realizar a Grande Obra, o Summum Bonnum, a Verdadeira Sabedoria e a Perfeita Felicidade.

Sacerdote:

“Nenhuma culpa ou graça esperes,
Essa é a Lei: FAZE O QUE TU QUERES.
Entrei com pesar; agora eu sigo com benção e regozijo, para tomar meu deleite entre a legião dos vivos”.

Aplausos O.T.O.